PLANEJAMENTO DE VIDA: OS ALVOS DA VIDA DEVEM IR ALÉM DE UM ÚNICO ANO (Parte 01)

Em todas as viradas de ano ouvimos palavras de planejamento, esperança e fazemos retrospectivas do que passou. Acho que as motivações inerentes a esse sentimento positivista é bom, mas devemos projetar nossa vida não por um simples ano, mas por uma sequência de anos que virão.  

Nem todas as metas podem ser batidas em um ano. Se você conseguiu isso no último ano é um dos poucos privilegiados e realmente deve ficar orgulhoso disso. No entanto, a realidade de pessoas e empresas é construir uma trajetória gradual, em etapas que podem ultrapassar o limite dos 12 meses que um ano oferece.  



Em se tratando de empresas, quando propomos um plano de marketing para alcançar seus objetivos nos baseamos em uma trajetória de três anos (para médio prazo) ou cinco anos (para logo prazo). No caso de pessoas, pense que é necessário desenvolver uma nova formação profissional e, dependendo do curso a ser feito, essa formação pode demorar quatro ou cinco anos. 

O que quero dizer é que será sempre impossível conquistar todos os objetivos em um único ano e que o melhor caminho é ter um planejamento de longo e curto prazo. Por isso, comece 2015 projetando coisas de sua necessidade imediata e emergencial, coisas que você realmente cumprir.  

Tenha foco e seja realista consigo mesmo. Há coisas que você pode fazer e são essas que você precisa se esforçar para cumprir. Há também coisas que somente Deus pode fazer por você e, nesse sentido, muitas vezes, a resposta de Deus pode ser um grande não. Logo, todo nosso planejamento, que é extremamente necessário, pode ser relativo e em vão. 

Assim, sobre tudo o que devemos ter como meta em todos os anos é servir a Deus e obedecer a suas ordenanças. Para mim, o Salmo 1 é o mapa da vida do cristão que realmente confia em Deus e, mesmo que todos os nossos planos falhem, os planos de Deus nos farão prósperos e  os mais feliz da Terra. 

Façamos uma análise deste Salmo: 

Verso 1Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. 

O homem que segue a Deus não coloca sua confiança no que o mundo diz a respeito de si mesmo ou a respeito da economia e do mercado. Pelo contrário, ele confia em Deus nos momentos de adversidade e se afasta das más conversações que os ímpios propõe, sabendo que o melhor é não se contaminar com o pensamento do mesmos. 

Verso 2Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. 
 

O servo de Deus sabe que temer a Deus e obedecer a seus mandamentos é a base para o alcance da sabedoria (Salmo 111. 10a). Nesse sentido, meditar na lei do Senhor é basear sua vida pela Palavra de Deus, suas promessas, as bênçãos prometidas aos que praticam a justiça. Isso significa que a prática pela busca do conhecimento de Deus nos levará a caminhos melhores. 

Verso 3: Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. 
 

Este verso revela as consequências daqueles que buscam a Deus, se desviam dos maus e tem o conhecimento de Deus como princípio de vida. Essas pessoas serão bem-sucedidas em tudo que fizerem e serão honradas no tempo certo! 

Versos 4 a 6:  4. Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha. 
5. Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. 
6. Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá. 

Os versos 4 a 6 revelam o caminho contrário aos caminhos das pessoas que procuram andar com Deus. Enquanto o caminho do justo é de sucesso eternal, o caminho dos pecadores é inconstante e revelará, ao final, dores e maldições.  

Conclusão

Portanto, como cristãos, busquemos projetar nossa vida sabendo que somos dependentes de Deus. Nossa dependência, busca sincera, justiça e amor pela palavra de Deus nos levará a prosperar no tempo certo. Assim, os frutos do cristão serão consistentes, frutos que permanecem e que promovam vida.

Nosso planejamento serão metas, ante de tudo, postas na frente de Deus com o objetivo de glorificar o nome Dele por meio de nossa trajetória.