A GUERRA CONTRA O PECADO E A RESPONSABILIDADE DO CRISTÃO EM RELAÇÃO AO OUTRO

Como nos deparamos com o pecado: Algumas fases da vida são conturbadas e muitas vezes nos perdemos na caminhada cristã. Nestes momentos, ficamos instáveis e vencer o pecado se torna um desafio ainda maior que o de costume.  

Isso acontece porque o foco de nossas vidas deixa de estar em Cristo e passamos a ficar mais preocupados com as situações que vivemos do que em cultivar um relacionamento sadio com Deus.  



Independente de estarmos passando ou não por um momento conturbado, ter nossas mentes e corações muito envolvidas com problemas, preocupações, intrigas ou mesmo questões de trabalho, podem nos tirar do foco e fazer com que acabemos por orar menos e meditar menos na Palavra de Deus. Assim, quando passarmos por qualquer tipo de dificuldade, precisamos sempre entender que Deus é o segredo da nossa vitória e que, nos momentos de maior dificuldade, somente uma vida cem por cento ligada a Deus nos livrará desses e de problemas ainda maiores. 

GUERRA CONTRA O PECADO 

A Bíblia nos informa que o pecado é gerado por algo intrínseco a cada indivíduo: 

“Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” (Tiago 1.14-15) 

O primeiro passo para uma vida cristã ajustada, cheia das bênçãos de Deus, é justamente guerrear contra o pecado, contra nossa própria concupiscência. No meu entendimento, só se vence o pecado com a ajuda do próprio Deus. A atuação do Espírito de Deus em nós neutraliza as forças das nossas próprias concupiscências e assim conseguimos triunfar sob nossas maldades. 

Logo, se entendermos nossa total dependência de Deus, o mérito de uma vida de santidade já não é nosso, mas do Deus que nos ajuda. Então, por causa disso, não devemos julgar os que ainda não conseguiram vencer suas maldades, mas entendê-los e estender as mãos  para ajudar, dispondo de nossa experiência e de nossos joelhos em oração em favor dos fracos e aprisionados pelo mal. 

Devemos nos esforçar em ajudar uns aos outros a carregar nossos fardos (Gálatas 6.2). Esse é o papel da igreja e é na medida em que refletimos a luz de Cristo, como a Lua reflete a luz do Sol, que podemos iluminar o mundo, corações, mentes, almas, lugares e vidas. Nesse sentido, as armas para nossa guerra são: A Palavra, A Oração, O Jejum e o Amor.  

Somente nossa constância em manter um relacionamento sincero com Deus pode nos livrar de pecar e fazer com que sejamos uma arma eficaz em favor dos perdidos. É esse relacionamento que nos leva a dedicar mais tempo em oração a Deus. É esse relacionamento que nos leva não somente a ler, mas a por em prática e gastar mais tempo de estudo da Palavra Deus em benefício do Reino.