PATRÍCIA ABRAVANEL E A QUESTÃO DO HOMOSSEXUALISMO: É NORMAL SER HOMOSSEXUAL?

Na última semana Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, polemizou na internet depois de uma declaração que deixou a comunidade LGBT incomodada. Segundo ela, não é legal dizer que ser homossexual é normal. “Eu acho que o jovem ainda é muito imaturo para saber o que quer. Então, a gente tem que firmar que homem é homem e mulher é mulher. Entendeu? Eu não acho que é legal a gente ser super liberal…”, opina a apresentadora. 

Minha opinião com relação aos questionamentos da comunidade LGBT e o posicionamento da apresentadora está intimamente ligada a um dos princípios da fé cristã: a liberdade e o livre-arbítrio. Em primeiro lugar, partindo da questão da liberdade, cada um de nós é livre para expressar sua opinião sobre qualquer assunto e isso inclui a religião, política e qualquer comportamento sexual. Sendo assim, temos que respeitar o direito de opinião de todos independente de quem sejam! 



Por outro lado, seria interessante analisar a fala de Patrícia Abravanel. Ela disse não achar legal dizer que homossexualismo é “normal”. Mas o que é ser normal? Segundo o Dicionário Informal, normal é: “O que não é diferente. O que é igual à maioria que esta ao seu redor, não se destaca” (Dicionário Informal). Sendo assim, dizer que ser homossexual é normal não pode ser efetivamente “normal”. A ideia de normal, no contexto de sua definição, dá a ideia de uma maioria necessária. Logo, se no contexto nacional os homossexuais não tem essa maioria, dizer que ser homossexual é normal não faz sentido.  

Desta forma, chegamos a conclusão de que Patrícia Abravanel tem direito de se expressar e, além disso, o que ela disse faz algum sentido.

Veja o vídeo:

A TRADIÇÃO CRISTÃ  E O HOMOSSEXUALISMO 

Nunca me posicionei sobre o homossexualismo em meu blog por entender que propagar mensagens do evangelho seriam suficientes para ensinar-nos como manter uma vida cristã sadia. Porém, percebi que não o fazer seria, em alguma medida, perpetuar o pensamento preconceituoso de pessoas que julgam o evangelho e a religião por estereótipos que nada tem a ver com o real significado da fé e da vida que Deus permite aos homens.  

Nesse sentido, podemos afirmar que em toda a Bíblia nos é apresentado o princípio da liberdade do homem e da justiça de Deus. Sendo que o Criador fez seres humanos livres para viverem como quiserem viver e desde o Éden é assim que a humanidade tem passado seus anos, com cada sociedade e indivíduo definindo seus próprios caminhos. Porém, pelo seu amor a humanidade, o que Deus faz e continua sempre a fazer é nos apresentar um caminho correto de como se viver a vida que Ele mesmo nos proporcionou, assim como às consequências da escolha de caminhos diferentes. Isso significa que o homem é livre também para escolher suas práticas sexuais, sejam elas heterossexuais ou homossexuais. No entanto, haverá algum efeito para cada atitude tomada.  

Vamos colocar um exemplo social prático para essa argumentação: Somos livre para fazer o que quisermos fazer. Qualquer pessoa é livre para se matar e para matar outra pessoa. Porém, se matar outra pessoa, além de ter cometido um pecado, terá cometido um crime e será preso por isso. Da mesma forma, se praticar o suicídio terá cometido um pecado e será punido por ele. 

A Bíblia nos ensina que o homossexualismo é um pecado da mesma forma que o sexo heterossexual fora do casamento também é. Ademais, se não houver arrependimento, a consequência para essas duas práticas será a mesma: a condenação. 

Então, como o cristão deve se posicionar com relação ao homossexualismo? Devemos nos posicionar como nos posicionamos frente a qualquer outra questão do gênero, amando às pessoas e ensinando o caminho de Deus a cada uma delas. Nesse sentido, sabendo que as mesmas tem sua liberdade de escolha e podem viver a vida da forma que preferirem viver, assumindo toda responsabilidade por seus atos.  

COMO VENCER MEU PECADO? 

O livro de Tiago explica o processo de concepção de nossos pecados: “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte (Tiago 1.14-16). 



Segundo este texto, cada um de nós é levado por nossas próprias paixões carnais a cometer algum tipo de pecado. Algumas pessoas não conseguem ser fieis em seus relacionamentos, outras tem dificuldade em parar de mentir, outras não conseguem lidar com dinheiro e são facilmente corrompidas. Todas essas atitudes são desvios de conduta que a Bíblia reconhece como pecado e, se quisermos seguir essa verdade, devemos nos distanciar delas assim como do sexo fora do casamento e do homossexualismo.  

Para vencer nosso pecado devemos primeiro nos arrepender, confessando nossos pecados a Deus. Em 1º João 1.9 está escrito: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça“. Depois disso, devemos pedir a ajuda do próprio Deus para vencermos nossas fraquezas.  

Somente a sabedoria de Deus poderá nos guiar e nos livrar de nossas próprias paixões. Tiago 1.5-6 diz: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte“. 

Por fim, devemos procurar ajuda de pessoas maduras na fé e que conhecem a Palavra de Deus em profundidade. Essas pessoas podem nos ajudar em oração e conselhos vindos da parte de Deus.